África do Sul – Dicas para fazer safári

Olá!

Ir para a África e não fazer safári rende a mesma analogia clássica do “ir para Roma e não ver o Papa” rs. Tem que fazer, nem que seja um só.

Quando decidimos nos hospedar em um lodge na África do Sul para fazermos alguns safáris surgiram várias dúvidas sobre roupas, o que levar, como funciona, horários …. hoje vamos ajudá-los contando um pouco da nossa experiência.

Horário

No nosso lodge os safáris rolavam em dois horários: um logo cedo, tipo madrugada mesmo, às 5 horas da manhã, que é o horário que os animais estão saindo para caçar, as temperaturas estão mais amenas e você encontra muitos bichos.

O outro safári era mais no final do dia, saíamos umas 4 da tarde do hotel e voltávamos no começo do entardecer.

Sou uma pessoa super noturna e esse acordar de madrugada, mesmo que para passear, era duro rs. Nosso ranger já sabia que estava proibido de falar comigo até às 9 pelo menos (quem nunca ?!?). Mas como não é todos os dias que fazemos isso estava tudo bem rs.

Você não é obrigado a fazer todos os safáris que os lodges organizam mas quando você está lá, mesmo que inclua o sacrifício de acordar de madrugada, você vai querer fazer estes e muitos outros.

Roupa

Como dissemos anteriormente os safáris da manhã costumam sair cedo e por ser uma “região de savana” as temperaturas são baixas. A mesma sensação é sentida no final dos safáris que ocorrem à tarde.  No nosso lodge eles deixavam um cobertor por assento no jipe para amenizar o frio e deixar o passeio mais confortável.

Nossa dica: leve um casaquinho de frio. Não precisa ser a sua jaquete de neve mas um cardigã de lã já resolve.

Antes de embarcarmos, surgiu aquela piração se deveríamos comprar uma roupa camuflada de safáris, botas de canos altos. Gente, na boa, não precisa de nada disso !!!

Você não vai sair do jipe, você não vai caçar nenhum animal, portanto, as suas roupas são excelentes para o safári. Calça, bermuda, tênis, chinelo … qualquer coisas vale a pena e tudo o que você precisa é ficar confortável já que vai ficar pelo menos umas 3 horas sentado.

A única ressalva é para evitar roupas vermelhas, pois podem tornar os animais arredios. As demais cores não tem problema.

Bonés, chapéus e óculos de sol são muito bem vindos, principalmente se o jipe do safári não tiver cobertura, o nosso tinha mas vimos vários não tem.

Não levamos binóculos e não sentimos falta. Estamos falando de animais de grande porte e eles não estão a quilômetros de distância. Alguns chegam bem perto dos jipes e podem ficar tranquilos que não acontece nada, os rangers sabem exatamente o que fazer e o quão distantes podem ficar de cada animal.

Repelente

Não levamos repelente e não sentimos falta. Vimos insetos, mas geralmente nas árvores e em cima dos animais. Estamos falando do safári da Reserva de Pilanesberg, o qual inclusive é “malária free”. Se alguém já foi para a região do Kruger e puder compartilhar sua experiência conosco, fiquem à vontade.

Se tiver alergia a picadas de insetos e quiser levar repelente é válido já que nas reservas não têm muita estrutura de socorro mas para quem não tem, não pega nada.

Transporte

No Tambuti Lodge os safáris eram realizados em jipes de 9 lugares mais um l lugar de passageiro na frente e também incluía uma cobertura de lona. Nas nossas pesquisas vimos que em diversos lodges os jipes não tem cobertura.

Se você preza por não ficar exposto(a) ao sol durante o safári inteiro, vale entrar em contato com o lodge ou uma busca no site para descobrir se os jipes possuem cobertura.

Acreditem, não é frescura. Ficar com sol na cabeça por várias horas é tenso.

Alimentação

No Tambuti Lodge o ranger responsável pelo safári levava uma geladeira com alimentos e bebidas (café, chá, cerveja, refrigerantes e guloseimas locais).

Quando você menos imagina, ele pára o carro e começa a montar a maior estrutura de piquenique com direito a pôr do sol com vinho e snacks locais, nos safáris da tarde.

No safári  da manhã, como o safári sai super cedo, eles montam um café da manhã para não ficarmos em jejum e quando voltamos ao lodge aí sim tomávamos aquele super café.

Experiência

Esqueça Animal Kingdom ou zoológicos, apesar da Reserva de Pilanesberg ser um “ambiente controlado” (possui cercas para que os animais não migrem para as cidades / estradas), os animais aqui estão no habitat deles. Eles se alimentam e vivem na reserva, então não temos animais dopados para ficarem mais calmos ou circuito e roteiro pré-definido de quando cada animal irá aparecer. Cada saída de safári reserva surpresas diferentes. Nos nossos safáris tivemos alguns momentos interessantes e mágicos, girafas se contorcendo para beber água em poças no chão, um grupo de animais da família do “timão do Rei Leão”  que parou em frente ao nosso jipe e ficou nos contemplando e a busca por dois leões “escondidos” no meio da vegetação. Este último episódio envolvendo jipes de diversos lodges, rastreio de pegadas, cheiros característicos e comunicação por rádio para descobrir o paradeiro dos leões.

Precisamos dizer mais alguma coisa para você querer ir agora mesmo para lá ?

Deixe uma resposta