Estados Unidos: road trip pela Califórnia – final

Oláaa !!

Hoje vai ser o último post da nossa viagem pela costa americana, mas os posts sobre a Califórnia ainda continuam. Tem muitas coisas bacanas que precisamos dividir com vocês.

Já contamos no post anterior da nossa escolha de hospedagem em Carmel. Agora vamos te contar o que fizemos e onde comemos. Anota essas dicas.

Onde comer

Um amigo super querido e com um espírito mega jovem nos indicou uma visita ao rancho do Clint Eastwood em Carmel. Traçamos a rota no GPS e dava menos de 10 km do nosso hotel. Resolvemos ir na cara e coragem já que o lugar não aceita reservas. Nos programamos de chegar cedo e deu certo. Sentamos no bar e aproveitamos para pedir as entradas enquanto nossa mesa não estava pronta.

Chegar cedo nos padrões brasileiros é jantar por volta das 18:30 – 19 horas, mas esse horário lá nos Estados Unidos é meio que o horário de pico já que normalmente o jantar começa em torno das 17 horas.

Mas deu tudo certo, comida deliciosa, preços mais altos (em torno de USD 60/70 por pessoa) e Mission Ranch ganhou nossa aprovação e merece ser indicado aqui.

Outra indicação que gostamos muito foi o Cantinetta Luca (fizemos a reserva pelo Open Table para as 20 horas, fomos as últimas pessoas a sentar para jantar, kkk). Comida italiana muito bem feita, ambiente bem descontraído e aparentemente é uma opção super cotada em Carmel.

E por fim, para um almoço tipicamente americano elegemos a Hamburgueria 400º Gourmet Burgers and Fries. O lugar é bem descoladinho e os hambúrgueres são mais gourmetizados logo os preços são mais altos também.

O que fazer

Nos hospedamos por duas noites em Monterey e foi um tempo bem razoável. Como chegamos no final da tarde, a primeira noite aproveitamos em Mission Ranch.

Já para o segundo dia aproveitamos para fazer a 17 Mile Drive. Saímos do hotel, fomos até o Monterey Aquarium (resolvemos não entrar para ganhar um pouco mais de tempo e só andamos pela região) e na sequência dirigimos a praia inteira partindo de Monterey até encontrar a entrada do condomínio Pebble Beach, Pacific Grove Gate, que seria o nosso ponto de partida para a rota.

Para entrar no condomínio paga se uma taxa de USD 10,00 (setembro/2016). Você recebe um mapa e pode aproveitar o tempo que quiser e do seu jeito. Pelo mapa tem muitas paradas, mas algumas são mais interessantes como o Lone Cypress que inclusive é o símbolo da 17-Mile.

Você pode fazer picnic, aproveitar a praia, almoçar no condomínio (tem um complexo de lojas e algumas opções de restaurantes) ou simplesmente curtir a rota de carro, que foi o que fizemos.

Demoramos entre 2 horas e meia a 3 horas para concluir todo o percurso e a nossa saída foi direto no centrinho de Carmel, onde aproveitamos para caminhar nos seus quarteirões repletos de galerias de arte e almoçar.

Saindo de Carmel/Monterey nossa próxima parada era Santa Bárbara. Paramos para almoçar no Restaurante Nepenthe, que fica no meio da estrada e aparentemente deve ser a melhor opção para uma parada já que ele estava absolutamente lotado.

Depois do Nepenthe o que segue são paradas para apreciar a vista. Fizemos paradas na Rocky Creek  Bridge, Bixby Brigde (uns dos pontos mais icônicos da Pacific Highway, a foto desta ponte aparece em diversos guias de viagem) além de outras paradas sem um marco definido. Você vai perceber que algumas paradas ficam mais cheias, estas são as que geralmente aparecem em guias, mas o interessante aqui é curtir a estrada e ir parando onde achar que a vista vale a pena.

Dica: se estiver descendo de San Francisco para Los Angeles ou San Diego procure parar nestes pontos que citamos e olhar para o sentido contrário, ou seja, para o norte. As vistas são incríveis.

Este trecho foi o mais longo da viagem. Saímos cedo de Carmel, logo depois do café, almoçamos no Nepenthe e fizemos poucas paradas na estrada,  mesmo assim chegamos em Santa Barbara bem no final do dia a ponto de quase não encontrar nada aberto para jantarmos já que a cidade aparentemente “encerra o dia” às 21 horas.

Mais uma dica: se estiver com um celular com chip local e acesso à internet e alguém como co-piloto é interessante abrir o Google Maps e ir acompanhando os pontos que estão fora da Pacific Highway e que são possíveis parar. Achamos diversas paradas desta forma 🙂

Nos arrependemos muito de não termos ficado pelo menos mais um dia por lá já que não tivemos tempo de conhecer a cidade. O máximo que fizemos foi uma volta muito rápida pelo centro para procurar um restaurante para jantar, acabamos indo de fast food mesmo e na manhã de nossa saída agilizamos de dar pelo menos uma volta no pier.

O clima da cidade é muito bom !!! Vale a pena ficar mais tempo.

Como iríamos passar apenas uma noite não investimos muito em hotel. Pegamos o Hotel Millo, que fica bem de frente para a praia e tinha café da manhã incluso. Pontos positivos: o quarto era super bonitinho e mesmo sendo de frente para a praia não tinha cheiro de mofo ou aquele aspecto de coisa desgastada pela maresia, além disso tinha ammenities L´Occitane (adoro !!!). Ponto negativo: hotel enorme, café da manhã bem desorganizado e sem espaço suficiente para todos os hóspedes; estacionamento somente com valet e por USD 35,00 a diária (acabamos parando na rua de trás do hotel por indicação do próprio recepcionista).

De Santa Barbara seguimos para Los Angeles com uma paradinha de meio dia no Camarillo Outlet (não tínhamos muito tempo disponível e nos programamos de ser rápidos para comprar o que realmente precisávamos). O outlet é bom, tem quase todas as lojas que a gente gosta. Para compras em outlet esta é melhor opção nos arredores de Los Angeles.

Os próximos posts serão cheios de dicas de Los Angeles e San Francisco. Continuem por aqui 🙂

Deixe uma resposta