Certificado Internacional de Vacinação contra Febre Amarela

Olá !!!

Hoje vamos te contar tudo o que você precisa saber para tirar o Certificado Internacional de Vacinação. Neste caso a vacina em questão é contra a Febre Amarela.

Apesar do nome ser grande fiquem tranquilos … é muito fácil tirar o Certificado.

Sua validade é de dez anos, portanto, vida longa.

A vacina é obrigatória para entrada na  África do Sul. Na América do Sul não é exigida em nenhum país mas é bom tomar; para ir para a Amazônia idem. Países da Ásia: o único que fomos até hoje que exige mesmo é a Tailândia. Para o Laos, Cambodia é bom tomar mas em nenhum dos aeroportos nos foi exigido o Certificado (viajamos em maio de 2016 pela última vez para lá).

Olha só como é mais fácil tirar do que você imagina.

A vacina contra febre amarela é fornecida nos postos de saúde pelo SUS, ou seja, você não precisa pagar para tomá-la. Se for em clínicas particulares, você precisará pagar.

Dica: procure um posto de saúde perto da sua casa, confirme se lá tem a vacina disponível (não são todos que têm), faça a sua carteira do SUS na hora (caso ainda não tenha) e tome a vacina.

A vacina em si não dói nada e ninguém da nossa família teve reação. A validade dela é de 10 anos. Depois disso, se for continuar viajando para lugares que exigem a vacinação, precisa fazer o processo de novo.

Depois de tomar a vacina, entre no site da ANVISA e siga este passo a passo retirado do site:

Para que o cidadão possa obter o Certificado é necessário seguir os passos abaixo:

1º Passo – Tomar a vacina exigida. 

O interessado pode obter a vacina gratuitamente em um posto de saúde do SUS ou deve procurar os serviços de vacinação privados credenciados.

A vacina contra febre amarela deve ser tomada com antecedência de, no mínimo, 10 (dez) dias antes da viagem.

2º Passo – Realizar o pré-cadastro no SISPAFRA.

O interessado deve realizar um pré-cadastro no endereço http://www.anvisa.gov.br/viajante, clicar na opção “cadastrar novo” ou no link “cadastro”. O pré-cadastro não é obrigatório, mas agilizará o atendimento prestado para emissão do certificado.

3ª Passo – Comparecer ao estabelecimento que emitirá o CIVP.

Para a emissão do CIVP, é imprescindível a presença física do interessado uma vez que a emissão está condicionada à assinatura do viajante, conforme previsto na RDC nº 21 de 31/03/2008, inciso III do Art. 1º do Anexo II.

Recomenda-se entrar em contato diretamente com o Centro de Orientaçãohttp://www.anvisa.gov.br/hotsite/viajante/centros.pdf mais próximo para saber precisamente o seu horário de funcionamento.

4ª Passo – Apresentar a documentação necessária para emissão do CIVP

O interessado deve apresentar o cartão nacional de vacinação e um documento de identidade original com foto.

 O cartão deve estar preenchido corretamente com a data de administração, fabricante e lote da vacina, assinatura do profissional que realizou a aplicação e identificação da unidade de saúde onde ocorreu a aplicação da vacina.

São aceitos como documentos de identidade a Carteira de Identidade (RG), o Passaporte, a Carteira de Motorista válida (CNH), entre outros documentos. A apresentação da certidão de nascimento é aceita para menores de 18 (dezoito) anos. Ressalta-se que crianças a partir de 9 (nove) meses já começam o esquema de vacinação. A população indígena que não possui documentação está dispensada da apresentação de documento de identidade.

Criança/adolescente menor de 18 anos

Não é necessária a presença da criança ou adolescente menor de 18 (dezoito) anos quando os pais ou responsáveis deste solicitarem a emissão do seu CIVP nos Centros de Orientação para a Saúde do Viajante.

Nossa experiência foi super tranquila. Depois de vacinados, preenchemos o cadastro no site da Anvisa e depois fomos até o Aeroporto de Congonhas (mais perto de casa) e emitimos o Certificado.

Como fizemos o cadastro previamente no site, o processo foi super rápido e em menos de 10 minutos já estávamos com o documento em mãos. Sim, ele fica pronto na mesma hora.

É imprescindível o comparecimento pessoal de quem está emitindo o Certificado já que ele precisa ser assinado ali, na hora.

Nossa dica é para chegar cedo nos postos de emissão pois assim se evita fila. Quando fomos, logo no primeiro horário, foi muito rápido e sem fila nenhuma. Lembro bem que só tinha nós emitindo o Certificado.

Ficou com alguma dúvida? Escreve para a gente.

(FONTE: www.anvisa.gov.br/viajante)

Deixe uma resposta