Viajando grávida – Preparativos

Oláaaa !!!

Por aqui estamos passando por uma fase nova em nossas vidas. Estamos à espera do nosso primeiro filho.

Depois de muitos anos de planejamento finalmente chegou a hora de aumentar a nossa família. Com isso vamos ter muito mais coisas para compartilhar afinal a partir de agora vamos viver experiências diferentes da que vivemos até então.

Nossa médica é super jovem e sem muitos “não pode” porém viajar de avião foi uma das proibições que ela nos impôs logo que descobrimos  a gravidez. Até os 3 meses você só vai viajar se for alguma coisa importantíssima.

Não era o nosso caso, conseguimos nos organizar para não ter nenhuma pendência em um momento que sabíamos que poderia acontecer a qualquer hora.

Passados os 3 meses completos, ou seja, entrando no 4° mês ou na 13ª semana (como os médicos gostam de contar) estávamos de alta desde que estivesse tudo bem comigo e com o bebê.

Óbvio que cada médico segue a sua linha e cada paciente é único por isso é extremamente importante você seguir sempre as orientações de quem está te acompanhando.

Passado o período de proibição começou a fase de “vamos planejar umas férias antes do bebê nascer”. Muitas pessoas aproveitam para ir para os Estados Unidos fazer o enxoval, outras para curtir uma “babymoon” e outras simplesmente para ir visitar a família que mora longe, curtir dias de descanso.

Seja lá qual for a sua opção, andar de avião seja uma, duas ou dez horas requer alguns cuidados.

Nossa médica indicou levantar de tempos em tempos para circular, seja ir ao toilete, tomar uma água, ir até o fundo da cabine. Importante é levantar de tempos em tempos para fazer o sangue circular e assim se evitar uma trombose. Se você estiver sentado em uma poltrona que fica difícil levantar toda hora não tem problema, você pode esticar a perna, fazer exercícios com o pé, alongar a panturrilha.

Gente, sei que os aviões são pequenos, os espaços reduzidos mas a gente precisa dar um jeitinho.

Junto com tudo isso, ela pediu também para usar uma meia de compressão. Comprei uma da marca Sigvaris, uso terapêutico, que é próprio para isso. Muito fácil de se encontrar.

Além dos cuidados a bordo ela me passou também uma listinha de remédios que pode ser que eu precise quando estiver viajando. Não usei nada de remédio até agora mas por precaução irei levar todos os que ela indicou.

Vamos voar de LATAM e quando compramos a passagem tem um campo que você se identifica como gestante. Dependendo da semana de gestação que você está a exigência de documentos é maior. No nosso caso, vamos apenas com o atestado autorizando viagens aéreas assinado e carimbado pela médica.

Além dos cuidados pessoais, das exigências da companhia aérea (é sempre bom checar antes o que cada uma exige porque não tem muita regra), compramos também aqueles assentos + conforto. Como sou bem alta isso me garantirá uma viagem mais confortável.

Minha médica disse que quando o vôo está tranquilo (sem bebês ou pessoas que necessitem de mais assistência que uma gestante) eles automaticamente nos colocam nessa primeira fileira que não é saída de emergência. Na dúvida e para não correr o risco, compramos.

Fora tudo isso, a recomendação básica é que se você estiver indo para o exterior, qualquer lugar, faça um seguro com uma cobertura legal que cubra inclusive gestação. A gente nunca sabe o que pode acontecer.

Se for viajar pelo Brasil e não tiver um convênio com cobertura nacional também acho fundamental fazer um seguro.

Mais dicas sobre o assunto vão aparecer aqui a medida em que forem acontecendo.

Se tiver alguma experiência e quiser compartilhar vamos ficar muito felizes.

 

Deixe uma resposta